Home » Reuniões » Reunião 42 (Natal, 21/05/2003)
Reunião 42 (Natal, 21/05/2003)

ATA da 42ª reunião do LARC realizada aos vinte e um dias do mês de maio de dois mil e três, às 10:00 horas na cidade de Natal no estado do Rio Grande do Norte.

Estavam presentes José Augusto Suruagy Monteiro (Vice-diretor do Conselho Técnico Científico do LARC), Guido Lemos de Souza Filho (Diretor Executivo do LARC), José Neumam de Souza (Vice- Diretor Executivo do LARC), José Ferreira de Rezende (UFRJ), Carlos André Guimarães Ferraz (UFPE), Raimundo José de Araujo Macêdo (UFBA), Maria Janilce Almeida (UFGRS), Edmundo Madeira (UNICAMP), Carlos Alberto Maziero (PUC-PR), Liane Tarouco (UFRGS), Lisandro Granville (UFRGS), Eduardo Bergamini (INPE), José Marcos Silva Nogueira (UFMG), Edson Moreira (USP-SP), Otto Carlos M. B. Duarte (UFRJ-COPPE), Maria Izabel Cavalcante Cabral (UFCG), Mauro Oliveira (CEFET-CE), Luci Pirmez (UFRJ), Rossana Maria de Castro Andrade (UFC), Werner Priess (IME), Ricardo Baldinet (PUCRS), Fladhimyr C. Castello (PUCRS) Marinho Barcellos(UNISINOS), Luciano P. Gaspary(UNISINOS), Marcos R. Salvador (CPqD), Roberto Willrich (UFSC), Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues (UFRJ), Joaquin Celestino (UECE), Paulo Muller (CNPQ) e João Carlos Peixoto(UFRJ).

 

Pauta da Reunião:

Informes

Definição dos organizadores

Relato das atividades da diretoria

Participação do LARC no projeto Giga

Eleição da nova diretoria

Outros assuntos

 

Ata

 

Professor Suruagy colocou sua intenção, bem como do Jean-Marie, de encerrar sua participação na diretoria do Larc.

 

Em seguida fez a leitura de uma carta enviada pelo Prof. Jean-Marie, que não pode participar da reunião por estar fora do pais.

 

Em seguida foi posta em votação a candidatura da UFRGS para organizar o SBRC2004 em Gramado, colocada pelos professores Lisandro e Janilce. Colocou-se também a intenção de realização do SBRC 2005 em Fortaleza sob a responsabilidade dos Professores Celestino da UEC e Rossana da UFC. Ambas as candidaturas foram aprovadas por unanimidade.

Suruagy em seguida fez um relato de sua participação no LARC. Colocando as várias iniciativas capitaneadas pelo LARC ao longo de sua historia no sentido de articular a atuação de suas instituições membros no sentido de garantir infra-estrutura de rede para viabilizar P&D e formação de recursos humanos na área de redes de computadores. Falou sobre o sonho, na época, de implantar uma rede Gigabit através de um esforço denominado projeto GigaLarc.

Relatou a participação do LARC no estimulo ao desenvolvimento de P&D no âmbito do RNP, que culminou com a criação de uma diretoria de P&D, assumida pelo Prof. Michael.

 

Colocou também a idéia proposta pelo LARC de criação de grupos de trabalho visando articular a comunidade em projetos de grande porte.

 

Colocou a necessidade de envolvimento do larc no projeto giga e a necessidade de construir as bases do que seria a rede Teralarc.

 

Falou também sobre a necessidade e importância da participação do larc na organização do projeto Giga.

 

Em seguida o Prof. Neuman fez um relato de sua participação nas reuniões do conselho da A-RNP. Falou sobre os temas discutidos: proposta de remuneração do quadro, atualização dos representantes de pops, onde foram eleitos os coordenadores de SC e AM. Discutiu-se também sobre as áreas de atuação da RNP em projetos de redes avançadas, incluindo discussões sobre gts e orçamento.

O prof Julius fez uma intervenção relatando sua participação no conselho, colocando a discussão que acompanhou do processo de transformação da RNP em organização social. Falou sobre a forma como a RNP opera, baseada em um contrato de gestão, com métricas bem definidas e avaliações periódicas que são fatores condicionantes para a liberação dos recursos para a RNP.

 

Suruagy colocou a importância da participação da LARC no apoio a articulação da RNP em vistas a entrada do MEC no financiamento da RNP.

Colocou sua opinião sobre como o LARC deve operar na articulação da comunidade, colocando a importância da busca de mecanismos de comunicação mais efetivos.

 

Passou-se então a discutir a participação do LARC no projeto Giga. Colocou que inicialmente o projeto Giga havia sido pensado a três mãos RNP, CPQD e LARC. Após as reuniões iniciais a participação do LARC é citada no projeto, mas precisa ser mais bem esclarecida.

 

O prof Michael pediu a palavra para esclarecer como se deu a partição do LARC ao longo do tempo. Dizendo que a versão 2001 do projeto a ser submetida ao FUNTEL era baseada nas três instituições supracitadas. Colocando que o CPQD estaria interessado nos aspectos mais relacionados a tecnologias de transmissão. A idéia era que a RNP fosse responsável pela implantação e operação da rede. O LARC seria responsável pela gestão de p&d em redes. Colocou que a falta de estrutura organizacional do LARC foi o motivo que levou a redefinição do projeto com a RNP assumindo o papel que cabia ao LARC. Em seguida falou sobre como serão geridos os recursos do projeto Giga e a divisão de responsabilidades entre a RNP e o LARC.

O próximo ponto a ser discutido foi à convocação de uma reunião para discussão sobre o modus operandi do projeto Giga. A reunião foi então marcada para o dia 22/05 às 8:30 hs.

Passou-se a discutir o próximo ponto da pauta: eleição da nova diretoria. Suruagy explicou a estrutura organizacional do LARC. Colocou novamente sua intenção e de Jean-Marie de não se candidatar. Em seguida o professor Guido falou sobre o processo eleitoral e lançou a candidatura da chapa. Paulo Aguiar colocou sua experiência quando diretor do LARC onde recebeu recursos de um projeto FINEP, e chamou a atenção para a necessidade de formalização do processo eleitoral. Posto isto, chamou-se a atenção para a necessidade de repetir o processo de atualização dos representantes das instituições no LARC. Dai surgiu uma demanda de enviar cartas aos reitores solicitando a indicação dos representantes.

 

Suruagy, propôs que o conselho coloca-se demandas para a nova diretoria.

 

Liane comentou a questão de regulamentação da situação financeira do LARC (GCG etc.)

Otto chamou a atenção para a superposição de funções com a comissão especial da SBC, seguiu-se uma discussão sobre as diferenças entre as duas. Constatou-se que a comissão é uma representação individual (de pessoas) e o LARC institucional. Outra questão foi que as decisões da comissão especial estão sujeitas ao referendo do conselho e diretoria da SBC. Julius colocou que a atuação da diretoria da SBC tem historicamente referendado os encaminhamentos da comissão especial e não considera isso como um problema.
Carlos Ferraz colocou a responsabilidade da CE SBC na definição de currículos na área de redes.

 

Paulo colocou outro exemplo de atuação institucional (ver com ele), e Janilce chamou a atenção para o impedimento legal de se repassar recursos de projetos para a SBC.

 

Liane sugeriu que a diretoria encaminha-se a redação de um livro registrando a historia do LARC.

 

Julius colocou como demanda para a diretoria a extensão do projeto Giga para todo o pais.

 

Guido colocou que a diretoria vai buscar a parceria com o CPQD e RNP para apoiar e buscar expandir o projeto Giga. Michael colocou que Nelson está articulando uma iniciativa ótica nacional que está aberta para participação.

Paulo Aguiar sugeriu que o LARC busque a articulação de projetos de apoio ao uso de tecnologia de rede para dar suporte a aplicações como Voz sob IP e videoconferência articulando projetos de grande porte.

 

Izabel, cobrou uma atuação sincronizada da CE SBC e do Larc. Otto explicou as principais funções da CE SBC de organizar os simpósios. Macedo chamou a atenção para o foco na atuação acadêmica da CE SBC.

 

Seguiu-se a discussão sobre o processo de votação. Decidiu-se pela realização da votação.

 

Votaram a favor da diretoria composta por Guido Lemos de Souza Filho para o cargo de Diretor do Conselho Técnico Científico do LARC, José Neuman de Souza para Vice-diretor, Luci Pirmez para Diretora Executiva do LARC, Lisandro Zambenedetti Granville para Vice-diretor Executivo, os seguintes membros do Conselho Técnico Científico do LARC:

José Marcos Silva Nogueira (UFMG), Liane Tarouco (UFRGS), Edmundo Madeira (UNICAMP), Edson Moreira (USP-SP), Raimundo José de Araujo Macêdo (UFBA), Otto Carlos M. B. Duarte (UFRJ-COPPE), Carlos André Guimarães Ferraz (UFPE), Michael Stanton (UFF), Eduardo Bergamini (INPE), Carlos Alberto Maziero (PUC-PR), Maria Izabel Cavalcante Cabral (UFCG) e Mauro Oliveira (CEFET-CE).

Ficando assim eleita a chapa única que se candidatou a diretoria.

Em seguida passou para o ponto de pauta outros assuntos.

O professor Paulo Aguiar pediu a palavra para expor o projeto do GT VOIP e convocar os representantes institucionais para se integrarem a rede que está sendo montada. Colocou que algumas instituições receberão equipamentos, mas que existe o espaço para participação de outras instituições que tenham recursos para adquirir seus próprios equipamentos. Informou que os contatos para integração deverão ser feitos através do site www.voip.nce.ufrj.br.

Liane, sugeriu que a diretoria organizasse debates virtuais baseados em videoconferência sobre temas pertinentes periodicamente.

Eu, Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues, secretário da reunião, lavrei esta ata que vai assinada por mim e pela Luci Pirmez, atual Diretora Executiva do CTC, após aprovação.

 

 

 

 

 

___________________________

Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues

Secretário da Reunião

 

 

 

 

___________________________

Luci Pirmez

Diretora Executiva do LARC